Home Blog

    Claudia Raia lança clipe em homenagem a público LGBTQIA+

    0

    Faixa integra espetáculo da atriz e vídeo é repleto de estrelas drag

    Marcia Pantera, Salete Campari, Silvetty Montilla, Allyssa Drummond e Thália Bombinha são apenas alguns dos nomes convidados por Claudia Raia para seu primeiro clipe. “Tô Bem Melhor Sem Você” é uma homenagem da atriz à comunidade LGBTQIA+ e faz parte do espetáculo Conserto Para Dois, estrelado por Claudia e dirigido seu marido, o também ator Jarbas Homem de Melo. O vídeo tem direção de Marcella Rica.

    Claudia Raia: homenagem a LGBTQIA+ em clipe (Reprodução)

    Divulgado neste domingo (28), o vídeo mostra Claudia em várias apresentações cercadas de brilho, glamour e da companhia de artistas drag do primeiro escalão. Além dos nomes acima, estão no vídeo Gysella Popovick, Laysa Bombom, Alexia Twister, Lilian Ravani, Rafaelly Poul e Catherrine Leclery, que veio da Alemanha somente para a gravação.

    “Esse público sempre me acompanhou e esteve ao meu lado nesses 40 anos de carreira. Agora chegou a minha vez de retribuir todo esse amor”, disse Claudia.

    Conserto Para Dois estendeu sua temporada até o dia 19 de dezembro. O espetáculo tem direção de texto por Anna Toledo, músicas dela, Thiago Gimenes e Tony Lucchesi, que também assina a direção musical.

    .

    Rio: Ariadna Arantes é anunciada como madrinha do bloco Sai, Hétero!

    0

    Segundo organização, ex-BBB foi escolhida por legado de levantar discussão sobre pessoas trans em rede nacional

    Tem mais mulher trans no Carnaval do Rio de Janeiro. Depois do anúncio de Marcela Porto como madrinha da escola Unidos da Ponte, Ariadna Arantes foi decretada a madrinha do bloco Sai, Hétero!, um dos mais conhecidos do novo Carnaval de rua da cidade.

    Ariadna Arantes: madrinha do Sai, Hétero! (Divulgação)

    Fundado em 2018, o bloco promete ser um dos principais da festa em 2022. E Ariadna tem grande parte nisso, garantem os idealizadores do bloco:

    “A importância vem da referência e legado que Ariadna carrega para comunidade LGBTQIA+ no Brasil. Ela, ao levantar a discussão sobre pessoas trans em rede nacional, contribuiu para ajudar muitas famílias e pessoas trans que enfrentam a barreira do preconceito, como exemplo, fez Roberta Close e Rogéria, entre outras precursoras da causa”.

    O anúncio oficial deverá ser feito no dia 18 de dezembro, da quadra da Unidos da Tijuca. No line-up está garantido um show com Rebecca.

    Rodrigo Oliveira estreia filme sobre chegada da Aids ao Brasil no Festival da Índia

    Com Johnny Massaro no elenco, Os Primeiros Soldados fala da luta da comunidade LGBTQIA+ contra um vírus desconhecido nos anos 1980; diretor falou sobre o assunto neste domingo (28)

    O cineasta brasileiro Rodrigo de Oliveira escolheu o Festival Internacional de Cinema da Índia para marcar a estreia de seu novo filme, Os Primeiros Soldados. Confira o trailer abaixo:

    Com Johnny Massaro, Renata Carvalho, Vitor Camilo, Higor Campagnado, Vinícius Duarte e Alex Bonini no elenco, a obra traça a história não documentada dos “primeiros heróis” (ou “soldados”) da comunidade LGBTQIA+, na luta contra um vírus desconhecido nos anos 1980.

    Os Primeiros Soldados é um tributo aos meus ancestrais que pertenceram à comunidade LGBTQIA+ e que foram vítimas da primeira onda de Aids no Brasil em 1983″, disse o diretor em seu discurso neste domingo (28).

    Diretor Rodrigo de Oliveira falou sobre a epidemia de Aids no Brasil no Festival Internacional de Cinema da Índia (Reprodução/Twitter)

    “O filme é uma tentativa de mostrar ao mundo as histórias não contadas do sofrimento e da discriminação de minorias sexuais no Brasil dos anos 1980. Este é o retrato de um passado distante, mas é também muito atual.”

    No discurso, Rodrigo ainda disse que recorda vividamente de ir a casas noturnas na juventude e não encontrar pessoas com mais de 30 anos, já que todas haviam morrido.

    Segundo o jornal The Times of India, o auditório estava lotado para a exibição do filme, assim como para o discurso de Oliveira, que disse: “Se nós não documentarmos a história de nosso sofrimento, ninguém irá”.

    Dezembro Vermelho: São Paulo tem testagem gratuita e itinerante de ISTs até 8/12

    0

    Ação integra série de medidas da campanha +Dias -Aids +Liberdade, promovida por Heitor Werneck e uma série de empresas, na luta pela prevenção e informação contra o HIV/Aids

    Desde o último dia 25 de novembro e até o dia 8 de dezembro, paulistanos poderão testar-se gratuitamente para ISTs como HIV, hepatites virais e sífilis. É o Dezembro Vermelho, série de ações que percorrerá vários bairros da capital, oferecendo apoio e informação, além de insumos como preservativos e gel lubrificante à população.

    Pôster da campanha +Dias -Aids +Liberdade (Divulgação)

    A ação é uma parceria entre o app de relacionamentos SCRUFF em parceria com o Instituto Cultural Barong, AHF Brasil – Aids Health Foundatin, UNAIDS Brasil, Coordenadoria de Políticas Públicas LGBTI+, da Secretaria de Direitos Humanos, e ícones da causa LGBTQIA+, como Heitor Werneck, que promove o retorno da campanha +Dias -Aids +Liberdade a São Paulo após duas décadas.

    O dia 1º de Dezembro deste ano traz um marco especialmente importante: os 40 anos do primeiro diagnóstico de AIDS no mundo. Neste dia, as ações se concentram no Largo do Arouche, onde Heitor relança a campanha +Dias -Aids +Liberdade, criada nos anos 1990, que inclui unidades móveis da Prefeitura que darão atendimento de saúde e psicológico, projeção de fotos em um prédio retratando a diversidade social, de gênero, idade e etnia da nossa população, distribuição de kits em postos fixos e em uma bicicleta itinerante conduzida pela travesti Miriam, do grupo Pela Vidda.

    Uma live transmitida pelo Facebook da Coordenadoria de Políticas Públicas LGBTI+, mediada por Werneck com presença de referências na temática da prevenção do HIV e responsáveis pelas políticas públicas e privadas para pessoas vivendo com HIV, de diferentes perfis, completa a programação e a campanha prevê ainda a produção de outros conteúdos correlacionados, compartilhados em canais parceiros durante o mês.

    Memorial vai contar histórias de vítimas da Aids no Brasil

    0

    Iniciativa está coletando áudios e retalhos com lembranças das vítimas da epidemia no país; saiba como participar

    Uma iniciativa vai reunir e organizar a memória das vítimas da epidemia de Aids no Brasil. Chamada memorial incompleto da epidemia de aids, trata-se de um projeto aberto, coletivo e sem fins lucrativos idealizado pela Casa 1, o Acervo Bajubá, o Museu da Diversidade Sexual, a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, o Grupo de Incentivo à Vida e o Pela Vidda SP.

    Inspirada no Projeto Nomes, surgido nos Estados Unidos em meados dos anos 1980, a ação deverá reunir fotos e áudios contando a história das pessoas que não resistiram à doença.

    Projeto foi idealizado pela Casa 1, o Acervo Bajubá, o Museu da Diversidade Sexual, a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, o Grupo de Incentivo à Vida e o Pela Vidda SP (Divulgação)

    A ideia, segundo a divulgação do memorial, é “ilustrar a enormidade da epidemia da Aids, encorajar uma atitude de compaixão para as pessoas vivendo com o HIV e gerar uma forma criativa e positiva de expressão para aqueles cujas vidas foram de alguma maneira tocadas pela epidemia”.

    Chamado memorial incompleto da epidemia de aids, trata-se de um projeto aberto, coletivo e sem fins lucrativos (Divulgação)

    Quem quiser compartilhar suas lembranças deverá uma proposta de retalho que formará uma colcha física, além também de áudios anônimos com duração de 3 a 10 minutos. Ao final do projeto, os áudios e imagens dos retalhos serão disponibilizados anonimamente no site do projeto; e a colcha será apresentada nos espaços parceiros em exposições abertas ao público.

    Inspirada no Projeto Nomes, surgido nos Estados Unidos em meados dos anos 1980, a ação deverá reunir fotos e áudios contando a história das pessoas que não resistiram à doença (Divulgação)

    A iniciativa é aberta e qualquer um pode participar. No site do projeto existem especificações de formato. Envios, dúvidas, agendamento de coleta de áudios ou criação dos retalhos podem ser feitos pelo email educativo@casaum.org e pelo WhatsApp (11) 91013-6994.

    No site do projeto existem especificações de formato (Divulgação)

    Os pontos de referência do projeto ficam no centro de São Paulo, no Galpão da Casa 1 (Rua Adoniran Barbosa, 151 – Bela Vista) e no Museu da Diversidade Sexual (Estação República do Metrô – R. do Arouche, 24 – República).

    Envios, dúvidas, agendamento de coleta de áudios ou criação dos retalhos podem ser feitos pelo email educativo@casaum.org e pelo WhatsApp (11) 91013-6994 (Divulgação)

    Bienal do Livro terá duas mesas com temas LGBTQIA+

    0

    Tema volta com força após a tentativa de censura do ex-prefeito Marcelo Crivella à última edição, em 2019

    A sexualidade, identidade de gênero e a experiência LGBTQIA+ vai voltar à Bienal do Livro, que começa nesta sexta (3) no Rio de Janeiro. Duas mesas deverão envolver a representatividade após a polêmica tentativa de censura ocorrida na edição anterior, em 2019.

    Evento terá duas mesas com temática LGBTQIA+ e poderá ser acompanhado online (Reprodução)

    Dia 9 de dezembro, ocorre a mesa Os Novos Rumos da Literatura LGBTQIAP+ Young Adult, sobre a diversidade e representatividade na literatura juvenil. Participam da mesa Elayne Baeta, Clara Alves, Pedro Rhuas, Deko Lipe e Juan Jullian.

    Dia 12 é a vez da mesa Vozes LGBTQIAP+: O que vem pela frente?, que debate o futuro da representatividade na literatura. Entre os convidados estão Amiel Vieira, Renan Quinalha, Letícia Nascimento, Samuel Gomes e Natalia Borges Polesso. A mediação é de Felipe Cabral, autor de O primeiro Beijo de Romeu.

    Bienal do Livro 2021 vai de 3 a 12 de dezembro (Divulgação)

    Tentativa de censura
    Em 2019, o então prefeito do Rio Marcelo Crivella questionou a comercialização de livros com temática LGBTQIA+ após confrontar-se com uma ilustração de um beijo entre dois homens na HQ Vingadores, A Cruzada das Crianças. Crivella chegou a enviar fiscais para confiscar livros e defendeu que publicações do gênero deveriam ser embaladas em plástico preto. A ação acabou vetada pelo Tribunal de Justiça do Rio.

    Bienal do Livro 2021
    A Bienal do Livro 2021 se estende de 3 a 12 de dezembro, em formato híbrido, presencial e digital. As duas mesas com temática LGBTQIA+ acontecem às 19h e poderão ser assistidas online no site do evento.

    Para além das mesas citadas, vozes diversas na Bienal incluem Lulu em Traço e Verso: 40 Anos de Carreira, que acontece dia 4 com o cantor Lulu Santos e com o jornalista Marcelo Cosme; Fé e Juventude, com Pedro Siqueira, Yalorixá Luana de Oyá e mediação de Pedro Alvarenga; A Nação na Língua, com Aílton Krenak e Daniel Munduruku, com mediação de Thelma Ggueses, entre outros. Toda a programação, bem como informações sobre ingressos, estão disponíveis no site da Bienal.

    Mulher lésbica tem joelho quebrado após tentar usar o banheiro no Ceará

    0

    Milene Pereira de Sousa, de 24 anos, foi atacada por um homem ao tentar usar o banheiro feminino; autor da agressão nega LGBTfobia

    Uma mulher lésbica de 24 anos acusou, na última semana, uma agressão após tentar acessar o banheiro feminino em um bar no Ceará. Milene Pereira de Sousa teve vários ferimentos, incluindo uma fratura no joelho.

    Milene: “Eu estava na seresta com minha companheira e tentei ir ao banheiro. Quando cheguei para entrar, ele já estava perto da porta e me empurrou” (Reprodução/G1)

    “Eu estava na seresta com minha companheira e tentei ir ao banheiro. Quando cheguei para entrar, ele já estava perto da porta e me empurrou. Pegou minha camisa e disse que lá eu não entrava. Decidi sair do lugar, mas ele me perseguiu”, disse Milena ao G1.

    A agressão foi confirmada em um vídeo gravado por testemunhas. À polícia, o agressor, que não teve sua identidade confirmada, disse que confundiu a vítima com um homem, por isso a teria impedido de acessar o banheiro. No entanto, ele negou a acusação de LGBTfobia e o caso segue em investigação na Delegacia Regional de Tauá.

    “Ele quebrou meu joelho. Estou com corpo todo machucado. Fui ao médico, e eles disseram que se o osso não voltar ao local, terei que passar por uma cirurgia”, disse Milene.

    Secretário ameaça veículos por notícia de campanha de Papai Noel gay

    0

    André Porciúncula estaria verificando cada notícia sobre propaganda norueguesa: “a mídia tem que respeitar a fé cristã”

    André Porciúncula, Secretário Nacional de Incentivo e Fomento à Cultura, publicou, na última sexta (26) uma ameaça às mídias que fizerem matérias sobre um comercial norueguês que inclui um Papai Noel gay.

    “Estou verificando cada veículo de mídia que divulgou a cena do São Nicolau (Papai Noel). O santo é parte integrante da fé cristã, e, até onde eu sei, desrespeitar a fé alheia ainda é crime. Farei uma notícia-crime contra os envolvidos. A mídia tem que respeitar a fé cristã”, escreveu o Secretário, que é ex-capitão da Polícia Militar da Bahia e considerado um braço direito do Secretário da Cultura e ex-ator Mário Frias.

    Nomeado Secretário e, abril de 2020, o ex-capitão tornou-se conhecido por alguns episódios polêmicos nos quais se envolveu, incluindo o apoio à rejeição a um filme sobre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso pela Ancine.

    Dessa vez, o ataque acontece aos veículos que noticiaram a campanha da agência de Correios da Noruega, que em 2021 fala do Natal mostrando um Papai Noel gay. O vídeo mostra o encontro de um homem de meia idade, Harry, com o Papai Noel. Um ano depois, Harry escreve uma carta para o bom velhinho declarando-se e dizendo que o que ele quer de Natal é o próprio Noel. Ao fim, os dois acabam ficando juntos.

    Para ver o vídeo na íntegra, clique abaixo:

    Em discurso nas prévias, Eduardo Leite fala sobre importância da diversidade

    0

    “Eu sou o primeiro governador que fala abertamente sobre ser gay”, disse o político do Rio Grande do Sul após derrota para João Dória nas prévias do PSDB

    O governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite manifestou-se publicamente após sua derrota para João Dória nas prévias do PSDB. Com 44,66% dos votos do partido contra 53,99% de João Dória, Leite deixa agora a corrida presidencial.

    Eduardo Leite (Reprodução/Instagram)

    No discurso, o governador agradeceu aos votos e desejou sorte a Dória, que segue como provável representante do PSDB nas eleições presidenciais de 2022. Leite ainda mencionou a exposição de sua orientação sexual e a importância do direito à diversidade:

    “Eu sou o primeiro governador que fala abertamente sobre ser gay e isso mostra a diversidade que todos têm a capacidade de ocupar qualquer posição. A diversidade nos faz mais fortes, mais ricos e com um futuro mais promissor.”

    A João Dória, Leite disse: “João, o nosso PSDB, nosso partido, confiou a ti a liderança desse projeto. Desejo a ti toda sorte e força para que possamos dar dias melhores aos brasileiros”.

    Carnaval do Rio terá primeira madrinha trans

    0

    Empresária Marcela Porto, conhecida como a Mulher Abacaxi do Furacão 2000, vai representar a Unidos da Ponte

    O Carnaval do Rio de Janeiro terá, pela primeira vez, uma madrinha trans de escola de samba. Marcela Porto, de 46 anos, foi escolhida para representar a Unidos da Ponte, de São João de Meriti.

    Conhecida por sua trajetória no funk como Mulher Abacaxi, a nova madrinha falou ao UOL sobre a importância de sua escolha: A gente já abriu um pouco as portas com algumas musas, atrizes em novelas no horário nobre, agora madrinha de escola de samba. Tá ficando show”.

    Marcela Porto: madrinha da Unidos da Ponte (Reprodução)

    Em 2022, a Unidos da Ponte, que pertence ao grupo de acesso, deverá homenagear a santa brasileira Irmã Dulce: “É o Brasil todo vendo, a Globo filmando, vai ter trans na Sapucaí, sim”, disse a empresária.

    Da estrada para a Sapucaí
    Marcela, que já integrou o elenco da gravadora Furacão 2000, comanda hoje uma empresa de transporte de minérios. Ela foi a primeira mulher transexual a tirar carteira de motorista na categoria E, que dá direito a dirigir carretas.

    Marcela Porto hoje comanda uma empresa de minários: “O caminhão é meu porto seguro” (Reprodução/Instagram)

    “Mas, mesmo durante o auge da carreira artística, nunca deixei meu caminhão de lado. Fazia as duas coisas ao mesmo tempo. Virava a noite em show, ia para casa, tomava banho e ia para o areial cheia de brilho porque aquele glitter não saía por nada. O caminhão é meu porto seguro, é de lá que tiro meu sustento, porque o mundo artístico é muito ingrato”, disse, ao UOL.