Grupo espanhol lança a “Maricoin”, primeira criptomoeda LGBTQIA+

    Veja também

    Proposta seria um incentivo a empresas e empreendedores que investem na comunidade

    Uma iniciativa pioneira de uma comunidade gay de Madri, na Espanha, acaba de lançar a primeira criptomoeda LGBTQIA+ do mundo, a Maricoin.

    A virada está no nome, que se apropria de um xingamento homofóbico em espanhol – “maricón” – e une ao conceito de criptomoeda – “coin”.

    A moeda foi lançada no último dia de 2021, em um teste que uniu 10 empresas do bairro de Chueca, conhecido point LGBTQIA+ da cidade.

    A ideia é aproveitar o poder econômico da comunidade para fomentar negócios inclusivos e empreendedores diversos ao redor do mundo.

    “Por que nossa comunidade não deveria lucrar com isso, em vez de bancos, seguradoras ou grandes corporações que muitas vezes não ajudam as pessoas LGBTQ+?”, questiona o cofundador da iniciativa Juan Belmonte. A proposta, segundo ele, teria surgido em uma conversa durante a Parada do Orgulho de Madri em 2021.

    A Maricoin tem apoio da Borderless Capital, companhia de capital de risco com sede em Miami, nos EUA. Segundo o presidente-executivo da proposta, Francisco Álvarez, 8.000 pessoas já estariam na lista de espera para comprar Maricoins antes de seu lançamento.