Grupo de montanhistas leva bandeira LGBTQIA+ ao segundo ponto mais alto da Europa

    Veja também

    Movimento de visibilidade busca levar símbolo do orgulho aos lugares mais altos do mundo, como o Mont Blanc, a montanha mais alta da União Europeia, com 4.808,73 metros acima do nível do mar

    O feito, realizado em 21 de setembro pelo montanhista Dastan Kasmamytov, faz parte do Pink Summit

    Um grupo de montanhistas LGBTQIA+ realizaram um feito inédito ao hastear a bandeira do arco-íris, símbolo do movimento, no Mont Blanc, o ponto mais alto da Europa Ocidental, na divisa da França com a Itália.

    O feito, realizado em 21 de setembro pelo montanhista Dastan Kasmamytov, faz parte do Pink Summit (algo como ‘cume cor de rosa’, em tradução livre), uma ação realizada por ele e outros amigos montanhistas, com objetivo de carregar a bandeira aos pontos mais altos do mundo.

    Um grupo de montanhistas LGBTQIA+ realizaram um feito inédito ao hastear a bandeira do arco-íris, símbolo do movimento, no Mont Blanc

    Kasmamytov revelou que a iniciativa surgiu em 2018, quando ele e alguns amigos subiram o Monte Elbrus, na Rússia, o ponto mais alto da Europa. Ao cruzarem a fronteira com a Geórgia, eles foram interrogados por autoridades, que teriam feito piadas homofóbicas e questões pessoais durante a abordagem.

    O montanhista, nascido no Quirguistão, conta que encontrou no esporte a liberdade para lidar com o conservadorismo de seu país.

    O Mont Blanc é a montanha mais alta dos Alpes e da União Europeia, atingindo uma altitude de 4.808,73 metros em estimativa.