Em mensagem natalina, Tom Daley critica países com políticas LGBTfóbicas

    Veja também

    Nadador e campeão olímpico aproveitou espaço na TV para opor-se a Catar e Arábia Saudita como sedes de eventos esportivos

    O mergulhador e campeão olímpico Tom Daley afirmou que países como Catar e Arábia Saudita não deveriam ter permissão para sediar eventos esportivos enquanto seus governos continuam perseguindo gays.

    Tom Daley (Reprodução)

    A mensagem foi parte da edição 2021 da Alternative Christmas Message (Mensagem de Natal Alternativa), que vai ao ar no dia de Natal pelo canal britânico Channel 4 – uma versão diferente do discurso tradicional da Rainha para a nação.

    Daley disse: “Em 2022, a Copa do Mundo será realizada no segundo país mais perigoso do planeta para gays, o Catar. Por que estamos permitindo que lugares que não são seguros para todos os fãs e jogadores hospedem nossos eventos esportivos de maior prestígio? Sediar uma Copa do Mundo é uma honra. Por que os estamos honrando? Ter um Grande Prêmio de Fórmula 1 é uma honra. Por que estamos homenageando a Arábia Saudita?”

    Na mensagem, Daley afirma ter tido a “sorte” de viver sua vida de forma aberta, ao lado do marido, o roteirista Lance Black, e do filho Robert. O nadador ainda citou o futebol masculino como exemplo, uma modalidade com dezenas de milhares de jogadores profissionais em todo o mundo, mas com somente um representante abertamente LGBTQIA+, o australiano Josh Cavallo.

    Na mensagem, Daley cumprimentou o colega: “Muito bem, Josh! Sua coragem é incrível. Mas vamos pensar por um momento no número de jogadores que estão com medo de falar – e como isso deve ser solitário”.

    Com a mensagem, Tom Daley une-se a vozes como o piloto britânico Lewis Hamilton, que posicionou-se abertamente contra a perseguição de países como Catar e Arábia Saudita aos direitos humanos.