Caso Gil do Vigor: conselho do Sport Clube Recife decide por advertência a membro que fez ofensas homofóbicas

    Veja também

    Reunião do Conselho Deliberativo optou por advertir o acusado por escrito em caso de ofensas homofóbicas contra ex-BBB, e recebeu críticas

    Caso teve origem quando Gil do Vigor visitou o Estádio Adelmar da Costa Carvalho – ou Ilha do Retiro – e fez uma dança no local

    O Conselho Deliberativo do Sport definiu em reunião, na noite desta terça-feira (9), pela não punição do conselheiro Flávio Koury. Em maio, Koury fez críticas com comentários homofóbicos ao ex-BBB Gil do Vigor e em junho o caso entrou em trâmite no Conselho.

    Segundo apurou o ge, a votação teve por case um parecer da Comissão de Ética do Conselho, que previa uma advertência por escrito ao acusado. Ainda assim, houve quem discordasse, como o diretor de diversidade do clube Gabriel Augusto, que participava da reunião como ouvinte e teve a palavra vetada pelo presidente do Conselho, Pedro Lacerda.

    Gabriel teria sido expulso da reunião, de acordo com a reportagem, após pedir a palavra ao presidente Pedro Lacerda. O clube não se manifestou sobre o ocorrido até o momento.

    Jogadores do Sport manifestam apoio a Gil do Vigor após ofensas – Foto: Anderson Stevens/Sport Recife

    O caso teve origem quando Gil do Vigor visitou o Estádio Adelmar da Costa Carvalho – ou Ilha do Retiro – e fez uma dança no local. Koury e outro conselheiro teriam tido mensagens vazadas com conteúdo ofensivo.

    “Tem 1,2 milhão de pessoas achando que o Sport só tem viado, só tem bicha. Vai vender é camisa. A viadagem todinha vai comprar. Vai ser lindo! Se ele tivesse feito essa dancinha na casa dele ou no bordel, ou onde ele quisesse, eu não estava nem aí. Mas foi dentro da Ilha do Retiro. Isso é uma desmoralização. Isso é ausência de vergonha na cara”, dizia a mensagem de Koury, que afirmou ter tido as falas tiradas de contexto.

    Carta do Coletivo de Torcida Canarinhos LGBTQ+ ao Conselho Deliberativo do Sport

    Na ocasião, o clube, a diretoria e os atletas deram apoio ao ex-BBB, e chegaram a produzir camisas em homenagem ao economista, com venda revertida para uma ONG de apoio à população LGBTQIA+.

    Nesta semana, após a reunião do Conselho Deliberativo, o Coletivo de Torcida Canarinhos LGBTQ+, que reúne membros de 19 torcidas pelo Brasil, divulgou uma carta aberta aos conselheiros do Sport pedindo “sensibilidade” e “seriedade” do Sport Clube Recife no compromisso do combate à LGBTfobia.