África do Sul elege primeiro prefeito gay

    Veja também

    Chris Pappas foi eleito em uMngeni com 47% dos votos; em campanha, usou fotos ao lado do noivo

    Chris Pappas ganhou as eleições do município de uMngeni com 47% dos votos válidos

    A África do Sul elegeu seu primeiro prefeito gay. Chris Pappas ganhou as eleições do município de uMngeni com 47% dos votos válidos. A cidade torna-se, assim, a primeira da província de KwaZulu-Natal, no leste do país, a ser governada pelo partido da Aliança Democrática – um dos que mais acampa políticos LGBTQIA+ nacionalmente.

    “Acredito que a importância não está em ser gay, mas em saber que um homem gay tem o direito de concorrer ao cargo” (chris pappas, primeiro prefeito gay eleito na áfrica do sul)

    O político de 30 anos nasceu em Mooi River e fala isiZulu (um dos 11 idiomas oficiais da África do Sul) fluentemente. Desde 2019 ele serviu como membro da legislatura da província pela Aliança Democrática e este ano assumiu como líder do partido na província. Sua plataforma tem apoio na anticorrupção, na melhora dos serviços públicos e no crescimento econômico de sua comunidade.

    Em sua vida pública, Pappas nunca escondeu sua sexualidade. Em sua página de campanha no Facebook, incluiu fotos ao lado de seu novo, JP Prinsloo. Sobre o assunto, ele declarou ao portal local MambaOnline: “É quem eu sou, eu não posso mudar e nem quero”.

    Em sua página de campanha no Facebook, Pappas incluiu fotos ao lado de seu novo, JP Prinsloo

    “Acredito que a importância não está em ser gay, mas em saber que um homem gay tem o direito de concorrer ao cargo”, disse o político. Ele reconhece, entretanto, as questões envolvendo a comunidade no país: “ainda há muitas desafios para a comunidade LGBT+ na África do Sul e no continente e nós precisamos trabalhar mais para garantir as palavras escritas na constituição”.