Quase 6 milhões de pessoas vivem com HIV sem saber, diz pesquisa

    Veja também

    Levantamento da UNAIDS determina que parte dos 37,5 milhões de portadores da doença não conhecem seu diagnóstico; médico diz que preconceito pode ser uma causa

    Quase 6 milhões de pessoas vivem com HIV sem saber que são portadoras da doença. O levantamento é da UNAIDS, o programa das Nações Unidas contra a Aids, e foi compartilhado pelo neurocirurgião Fernando Gomes neste 1º de dezembro, Dia Mundial de Combate à Aids, no quadro Correspondente Médico da CNN Brasil.

    Segundo a pesquisa da UNAIDS, são atualmente 37,5 milhões de pessoas convivendo com o HIV – 6 milhões destas desconhecem seu diagnóstico (Getty Images)

    De acordo com Gomes, o preconceito é uma das principais causas para a ausência de diagnóstico. A testagem frequente garantiria, segundo ele, um tratamento eficaz e o controle dos sintomas da doença a longo prazo.

     

    “Quanto mais precoce é feito o diagnóstico, melhor para a sua saúde e para as pessoas com quem você se relaciona”, disse o neurocirurgião.

    “Não adianta fugir, a gente precisa ir de encontro com a situação, para rapidamente estabelecer um tratamento e transformar isso de uma coisa potencialmente grave, que pode tirar a vida das pessoas, em uma questão crônica que pode ser manuseada de forma mais tranquila com medicamentos.”

    Segundo a pesquisa da UNAIDS, são atualmente 37,5 milhões de pessoas convivendo com o HIV – que não deve ser confundido com a Aids, que é a Síndrome da Imunodeficiência Humana transmitida pelo vírus. Em 2020 foram 690 mil mortes em todo o mundo.

    Atualmente, o tratamento para o HIV é gratuito e distribuído para todos os portadores da doença, independente do estágio, pelo Sistema Único de Saúde, o SUS.