Policial afastado por expor orientação sexual volta ao trabalho no DF

    Veja também

    Henrique Harrison sofreu homofobia e repreensão formal após postar vídeo e foto comentando sua sexualidade em redes sociais

    O policial Henrique Harrison, punido após expor o tratamento a homossexuais membros da corporação, antecipou seu retorno ao trabalho. Harrison havia sido afastado das atividades há oito meses para tratar de depressão e ansiedade, e ainda tinha atestado para outros 60 dias, mas preferiu voltar antes.

    Henrique foi punido pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) após publicar um vídeo em seu canal do YouTube, onde falava sobre como a “homossexualidade é tratada em ambiente militares”. A partir de então, passou a sofrer perseguição e receber ameaças homofóbicas de colegas.

    “Eu queria trabalhar em Sobradinho, mas recebi ameaça de um policial que mora aqui também, então trabalho a 35 km de casa por conta desse episódio”, conta Harrison.

    Dentre as condições para seu retorno estavam o condicionamento a funções administrativas e a alocação próximo a sua casa.

    No anúncio da reintegração, Henrique ainda levantou pontos suspeitos de sua volta, como a comunicação do retorno por parte da polícia antes da entrega do atestado. Entretanto, ele diz que não deve questionar a decisão: “apesar de tudo, penso sempre o melhor da corporação”.

    Henrique foi punido em julho de 2021, três meses após a publicação do vídeo; Ele também chegou a postar uma foto de sua formatura na Polícia, em que beijava o namorado. Segundo a decisão da Corregedoria da Polícia Militar, o oficial teria infringido os artigos 40 e 59, que falam sobre “portar-se de maneira inconveniente ou sem compostura” e “discutir ou provocar discussão, por qualquer veículo de comunicação, sobre assuntos políticos ou militares, exceto se devidamente autorizado.”