Florista americana é condenada após recusar-se a atender um casal gay

    Veja também

    Suprema Corte de Washington decidiu contra a profissional, que deverá pagar 5 mil dólares após negativa

    Uma florista americana foi condenada a pagar uma indenização no valor de 5 mil dólares por ter recusado a atender um casal homossexual. O caso corria na justiça desde 2013, mas não foi solucionado até a última quinta (18), quando a Suprema Corte de Washington decidiu que a profissional feriu a lei antidiscriminação do estado.

    Barronelle Stutzman, proprietária da florista Arlene’s Flowers, em Richland, recusou-se a atender o casal Robert Ingersoll e Curt Freed (Reprodução)

    O caso começou quando Barronelle Stutzman, proprietária da florista Arlene’s Flowers, em Richland, recusou-se a atender o casal Robert Ingersoll e Curt Freed. Apesar de supostamente considerar Ingersoll como um “amigo”, a profissional justificou a recusa alegando fé.

    Leia mais: Médico recusa procedimento de histerectomia a mulher lésbica, que o acusa de homofobia

    “Sempre fiquei maravilhada por oportunidades criativas como essa e também sempre adorei vender-lhe bouquets de flores. Mas, desta vez, o evento que celebrava era o seu casamento com outro homem e essa é uma linha que não cruzarei, nem por amizade”, disse a condenada.

    Leia mais: 2021 pode bater recorde de casamentos homoafetivos no Brasil

    Segundo a revista Advocate, o casal deve doar o dinheiro da indenização à PFLAG, uma organização não-governamental que ajuda pessoas LGBTQ e as suas famílias nos Estados Unidos.