Bienal do Livro terá duas mesas com temas LGBTQIA+

    Veja também

    Tema volta com força após a tentativa de censura do ex-prefeito Marcelo Crivella à última edição, em 2019

    A sexualidade, identidade de gênero e a experiência LGBTQIA+ vai voltar à Bienal do Livro, que começa nesta sexta (3) no Rio de Janeiro. Duas mesas deverão envolver a representatividade após a polêmica tentativa de censura ocorrida na edição anterior, em 2019.

    Evento terá duas mesas com temática LGBTQIA+ e poderá ser acompanhado online (Reprodução)

    Dia 9 de dezembro, ocorre a mesa Os Novos Rumos da Literatura LGBTQIAP+ Young Adult, sobre a diversidade e representatividade na literatura juvenil. Participam da mesa Elayne Baeta, Clara Alves, Pedro Rhuas, Deko Lipe e Juan Jullian.

    Dia 12 é a vez da mesa Vozes LGBTQIAP+: O que vem pela frente?, que debate o futuro da representatividade na literatura. Entre os convidados estão Amiel Vieira, Renan Quinalha, Letícia Nascimento, Samuel Gomes e Natalia Borges Polesso. A mediação é de Felipe Cabral, autor de O primeiro Beijo de Romeu.

    Bienal do Livro 2021 vai de 3 a 12 de dezembro (Divulgação)

    Tentativa de censura
    Em 2019, o então prefeito do Rio Marcelo Crivella questionou a comercialização de livros com temática LGBTQIA+ após confrontar-se com uma ilustração de um beijo entre dois homens na HQ Vingadores, A Cruzada das Crianças. Crivella chegou a enviar fiscais para confiscar livros e defendeu que publicações do gênero deveriam ser embaladas em plástico preto. A ação acabou vetada pelo Tribunal de Justiça do Rio.

    Bienal do Livro 2021
    A Bienal do Livro 2021 se estende de 3 a 12 de dezembro, em formato híbrido, presencial e digital. As duas mesas com temática LGBTQIA+ acontecem às 19h e poderão ser assistidas online no site do evento.

    Para além das mesas citadas, vozes diversas na Bienal incluem Lulu em Traço e Verso: 40 Anos de Carreira, que acontece dia 4 com o cantor Lulu Santos e com o jornalista Marcelo Cosme; Fé e Juventude, com Pedro Siqueira, Yalorixá Luana de Oyá e mediação de Pedro Alvarenga; A Nação na Língua, com Aílton Krenak e Daniel Munduruku, com mediação de Thelma Ggueses, entre outros. Toda a programação, bem como informações sobre ingressos, estão disponíveis no site da Bienal.