COI apresenta diretrizes para trans no esporte

    Veja também

    Regras apresentadas nesta terça (16) determinam que não haverá “presunção de vantagem” em jogos oficiais

    O Comitê Olímpico Internacional (COI) apresentou hoje (16) as diretrizes que deverão basear as regras da federações internacionais quanto à elegibilidade de pessoas transexuais e intersexuais. Os critérios valem também para os Jogos Olímpicos. Um dos mais importantes é o da “não presunção de vantagem”, que diz que nenhum atleta deverá ser eliminado com base em “vantagem injusta não verificada”, incluindo aqui variações de sexo ou status.

    TOKYO, JAPAN – AUGUST 06: Gold medalist Quinn #5 of Team Canada reacts with their gold medal after becoming the first openly transgender athlete to win Olympic gold during the Gold Medal Match Women’s Football match between Canada and Sweden at International Stadium Yokohama on August 06, 2021 in Yokohama, Kanagawa, Japan. (Photo by Naomi Baker/Getty Images)

    “Até que as evidências determinem o contrário, os atletas não devem ser considerados como tendo uma vantagem competitiva injusta ou desproporcional devido às suas variações de sexo”, determina o item 5.2. das diretrizes.

    Segundo as novas regras, qualquer restrição deverá ser embasada por “consistente, injusta e desproporcional vantagem competitiva em performance” ou um risco à saúde de outros atletas.

    O COI afirma ainda que é da competência de cada #esporte e de seu órgão regulador a determinação do que configuraria “vantagem desproporcional”, mas que todos deverão obedecer às determinações apresentadas hoje pelo Comitê.