Brasil tem 4 milhões de pessoas trans e não-binárias, aponta estudo

    Veja também

    Pesquisa da Unesp, inédita no Brasil, indica que 1,9% da população total do país se encaixa em um dos dois grupos

    Um estudo da Unesp, inédito na América Latina, aponta que o Brasil possui 4 milhões de pessoas trans e não-binárias. Isso corresponde a 1,9% da população total do país, que teria 212,6 milhões de habitantes, segundo o Banco Mundial (2020).

    Pessoas não binárias seriam 1,19% da população brasileira (Getty Images)

    De acordo com Maria Cristina Pereira Lima da Faculdade de Medicina de Botucatu, autora do artigo, os dados revelam a urgência do desenvolvimento de políticas de saúde voltadas para esta população – da capacitação de profissionais de saúde à própria extensão da expectativa de vida dessas pessoas.

    Ao todo foram entrevistadas 6.000 pessoas em 129 municípios de todas as regiões do país. O total de pessoas identificadas como transgênero seriam 0,69% da população brasileira e as pessoas não binárias, 1,19%. “Transgênero”, descreve o artigo, seria um termo usado para identificar “pessoas que se identificam com um gênero incongruente ou diferente daquele que lhes foi atribuído no nascimento”. “Não-binário” seria um indivíduo fora das identidades definidas como masculina ou feminina.

    Maria Cristina destaca a metodologia utilizada, baseada em estudos semelhantes de países como Estados Unidos e Inglaterra, e a amostragem escolhida, equivalente a estudos de institutos de pesquisa como o Datafolha, por exemplo. Segundo a autora, chama atenção ainda o fato de os resultados não demonstrarem diferença significativa entre capitais e cidades do interior.