Após caso de homofobia, Sport anuncia ações antipreconceito

    Veja também

    Medidas incluem cláusulas contratuais para jogadores e colaboradores e a capacitação inclusiva de funcionários e atletas

    O Sport Clube Recife anunciou uma série de ações sobre de Diversidade e Inclusão. As medidas vêm após o caso recente de homofobia contra o ex-BBB Gil do Vigor por parte de um membro do Conselho Deliberativo.

    Caso teve origem quando Gil do Vigor visitou o Estádio Adelmar da Costa Carvalho – ou Ilha do Retiro – e fez uma dança no local

    Entre os principais avanços estão a inclusão de cláusulas antirracistas e anti-homofobia para todos os contratos de colaboradores e atletas a partir de 2022 e uma nova categoria de sócio do clube.

    Leia mais: Náutico poderá ser penalizado por canto homofóbico da torcida
    Leia mais: Jogador inglês Conor Coady fala sobre inclusão de pessoas LGBTQIA+ no futebol

    Os avanços foram anunciados pela vice-presidente da pasta, Roberta Negrini, que disse: “A vice-presidência de Inclusão e Diversidade foi uma cadeira estruturada bem antes disso acontecer. Ela não é uma resposta ao episódio, mas uma crença do Executivo de que é uma pauta importante, em um clube histórico e machista. Mas não é só o Sport, a maioria do Brasil e do mundo são”.

    Além das decisões administrativas, o anúncio ainda prevê a capacitação de jogadores e funcionários contra a LGBTfobia, a publicação de um manifesto antirracista, o desenvolvimento de novas roupas para sócios do time, e a criação de dois murais em celebração à diversidade, entre outras ações.