Espanha aprova reprodução assistida para mulheres solteiras, lésbicas e pessoas trans

    Veja também

    Em vigor desde a última quarta (10) serviços devem beneficiar 8.500 interessadas e interessados

    Mulheres solteiras, lésbicas, bissexuais e pessoas transexuais capazes de engravidar terão acesso a tratamentos para fertilidade pela rede de saúde pública da Espanha. A medida passou a valer desde a última quarta-feira (10).

    Tratamentos de reprodução assistida já eram oferecidos na rede pública espanhola, mas restritos desde 2014 a mulheres heterossexuais com um parceiro. Era também uma reivindicação de grupos de defesa LGBTQIA+, defendida pelo governo do socialista Pedro Sánchez.

    Previsão é de que mais de 8.500 pessoas tenham acesso aos serviços (Getty Images)

    Agora, a previsão é de que mais de 8.500 pessoas tenham acesso aos serviços.

    “O governo devolveu o direito de mulheres solteiras, lésbicas e bissexuais terem acesso às técnicas de reprodução humana assistida (RHA) no Sistema Nacional de Saúde e ampliou-o para transexuais com capacidade de gestar”, disse o comunicado do Ministério da Saúde.