Lésbicas, visíveis para quem?

    Veja também

    #lésbica #lgbtqia #empoderamento #feminismo #resistência

    » 12 NOV, SEXTA-FEIRA, às 18h @ YOUTUBE MIXBRASIL (60’)
    14 anos | Acessibilidade: Libras

    O dia 29 de agosto é reconhecido por lei como o Dia da Visibilidade Lésbica, o que mostra a necessidade de vizibilizar esta parte da sigla. Afinal, somos visíveis dentro da sigla? Somos visíveis na cultura? Na elaboração de políticas públicas? Somos visíveis dentro de nossa própria comunidade lésbica? Para pensar sobre essas e outras questões, convidamos para esta conversa três mulheres lésbicas que atuam na construção conjunta dessa visibilidade, por meio da literatura e do resgate histórico, por meio do levantamento de dados, para saber quantas e quem somos, e por meio das redes sociais, dialogando sobre o autocuidado.

    Bárbara Esmenia

    Bárbara Esmenia: Poeta, dramaturga y curinga de Teatro das/os Oprimidas/os.

     

     

     

     

    Márcia Balades

    Márcia Balades: Sapatão, integrante da Liga Brasileira de Lésbicas e da Bloc Feminista da Marcha da Maconha, está supervisora do LesboCenso no estado de São Paulo.

     

     

     

    Jamine Miranda

    Jamine Miranda: Tem 29 anos, é historiadora, mestre em Educação, pesquisadora, analista social, podcaster (PretaCast Caminhão) e criadora de conteúdo pela página Preta Caminhão desde 2017.

     

     

     

    Bárbara Falcão

    Barbara Falcão: Escritora, autora e professora. Mestra em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), fundadora e organizadora do Bloco Siriricando, de visibilidade lésBi, no carnaval do São Paulo. Já publicou contos e poemas em diversas coletâneas e atuou como professora e autora de material didático em movimentos sociais e instituições públicas e particulares. Atualmente é professora na rede pública da cidade de São Paulo.