Mostra exibe filmes de Marlon Riggs que discutem raça e sexualidade de afro-americanos

A mostra ocorre ao longo do mês de junho nas cidades de São Paulo, no IMS Paulista, e do Rio de Janeiro, no IMS Rio e no Galpão Bela Maré

LEIA TAMBÉM

- Publicidade -
- Publicidade -

Cineasta, ativista e professor universitário, Marlon Riggs (1957-1994) escreveu e dirigiu filmes que celebram as comunidades negra e gay nos Estados Unidos dos anos 1980 e 1990, documentando suas estratégias de sobrevivência e resistência. Neste mês de junho, marco do Orgulho LGBTQIA+, toda a filmografia do diretor será exibida pela primeira vez no Brasil.

Intitulada “Bixaria Negra – O cinema de Marlon Riggs, a mostra acontece nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Na capital carioca, será apresentada no IMS Rio e no Galpão Bela Maré, de 16 a 30 de junho. Já em São Paulo, os filmes serão exibidos no IMS Paulista, entre 22 e 29 de junho. A curadoria é do pesquisador e cineasta Bruno F. Duarte, cujo mestrado pela Escola de Comunicação da UFRJ aborda a produção de Riggs.

A mostra apresenta oito filmes dirigidos pelo cineasta entre as décadas de 1980 e 1990, incluindo longas, médias e curtas-metragens, além de um documentário sobre sua vida e obra. Para enfatizar a potência e atualidade da produção do cineasta, a mostra exibirá, em diálogo, nove curtas-metragens brasileiros contemporâneos, realizados por jovens cineastas negros LGBTQIA+.

Marlon Riggs (Foto: Divulgação/ California Newsreel)

A programação também inclui debates sobre a obra do diretor, com a presença de Cornelius Moore, parceiro de criação e distribuidor dos filmes de Riggs, entre outras pessoas convidadas. Os bate-papos acontecem no IMS Rio, no IMS Paulista e no Galpão Bela Maré, onde haverá também uma performance das artistas Dominick di Calafrio, Preta QueenB Rull e Pantera, além de DJ sets da festa Mariwô, no dia 17 de junho. 

Riggs é antes de tudo um gênio. Um homem negro, homossexual, que viveu com HIV e foi um exímio narrador. O cineasta construiu uma filmografia inconfundível, celebrada por equilibrar-se entre pesquisas rigorosas e ousada experimentação estética. Sua biografia reúne muitos elementos para uma bela história de exceção extraordinária. Mas foi a busca pela experiência coletiva comum, impulsionada por uma urgência de comunicação com pessoas negras, que moveu seu fazer artístico”, pontua o curador.

Riggs nasceu no estado do Texas, no Sul dos Estados Unidos, em 1957. Graduou-se em história na Universidade de Harvard e obteve o título de mestre em jornalismo na Universidade da Califórnia em Berkeley, onde iniciou sua trajetória no audiovisual. Entre 1981 e 1994, escreveu, produziu e dirigiu filmes que abordam questões de raça e sexualidade, marcados tanto por extensa pesquisa quanto pela experimentação de linguagem.  Entre suas obras estão “Línguas Desatadas” (1989), “Do Estereótipo Negro” (1987) e “Preto É…Preto Não É” (finalizado postumamente em 1995). Em 1994, aos 37 anos, Riggs teve sua vida interrompida em decorrência do HIV/AIDS.

Cartaz da mostra concebido pelo artista Yhuri Cruz

Serviço

Mostra de filmes Bixaria Negra – O cinema de Marlon Riggs
Acesse aqui a programação completa

Rio de Janeiro – IMS Rio
De 16 a 30 de junho
Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea
Ingressos aqui – R$ 10 (inteira) e 5 (meia)

Rio de Janeiro – Galpão Bela Maré
De 16 a 30 de junho
Rua Bittencourt Sampaio, 169. Maré
Entrada gratuita

São Paulo – IMS Paulista
De 22 a 29 de junho
Avenida Paulista, 2424
Ingressos aqui –  R$ 10 (inteira) e 5 (meia)

MixBrasil
MixBrasil
Fundado em 1994, o MixBrasil é o primeiro portal de informações e cultura LGBTQIA+ do Brasil

Deixe uma resposta

- Publicidade -
- Publicidade -

Latest News

Editoras Ática e Scipione destacam 4 livros infantojuvenis para abordar diversidade sexual e de gênero

Obras trazem representatividade para os jovens leitores e histórias auxiliam famílias a entenderem processos de autoconhecimento de crianças e adolescentes

More Articles Like This

- Publicidade -